Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


Artigos

23/05/2016
JANDIRA FEGHALI

De volta ao passado

 

Por Jandira Feghali *
Os traidores da pátria não esperavam por essa. Pouco mais de seis dias como presidente interino, Michel Temer, que assumiu num golpe que rasgou dramaticamente a democracia em nossa História, a bolsa caiu e o dólar disparou. Enquanto os primeiros passos dos golpistas vão sendo dados em tragédias atrás de tragédias, outros países e imprensa internacional vão percebendo o que ocorre por aqui, denunciando quase que diariamente.
Basta pegar as primeiras medidas adotadas por Temer logo após assumir provisoriamente a caneta presidencial. Extinção de diversos ministérios e secretarias que tinham como finalidade dar protagonismo às diversas faces de nossa sociedade, carentes historicamente de políticas públicas. É o caso da secretaria das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, e pastas como a secretaria nacional de pessoas com deficiência, eliminando mais de 40 milhões de brasileiros da discussão sobre o tema.
Além disso, desvinculou os orçamentos da saúde e educação da Constituição, desfazendo o piso criado como conquista histórica dos movimentos sociais. O novo ministro da Saúde, Ricardo Barros, também deu o tom da gestão em curso ao dizer que o SUS poderia ser reduzido para beneficiar os planos de saúde, acabando com sua universalidade. Esse pensamento atrasado é uma ponte para o passado, numa discussão que travávamos no início da década de 90, no fim da Era Collor e início do governo FHC.
A desconstrução do Ministério da Previdência também é absurda, como parte deslocada para a Fazenda, na perspectiva de beneficiar o mercado financeiro e acelerar a reforma com objetivo de atender a uma “planilha de custos”.
Esta é a cara do governo golpista. Adotaram uma marca vazia e ilusória, baseado no “Não reclame, trabalhe”, como se apenas um slogan fosse dar cabo da geração de emprego e renda que nosso país precisa. É extrema a falta sensibilidade e competência deste grupo que tomou o poder baseado em mentiras e boatos, alinhados com a Grande Mídia e o capital.
O ápice dos retrocessos surge na extinção do Ministério da Cultura, – veja a ironia do destino – que teve como figura expoente o peemedebista Celso Furtado, na década de 80 e que fora limado apenas por Collor. Sem diálogo algum com os setores culturais e da sociedade, Temer pôs abaixo um dos maiores alicerces de nossa democracia e identidade. Fica evidente a visão autoritária, discricionária e atrasada deste governo.
Sob grandes vaias, cria-se às pressas uma secretaria, espécie de “puxadinho da Cultura”, com parco orçamento e representatividade, na tentativa de por uma mulher para gerir. Diversas personalidades femininas disseram um sonoro não ao presidente interino. Isso mostra a falta de legitimidade do governo golpista dentro da sociedade e o mundo artístico.
É lamentável também que alguém vinculado à gestão da cultura tenha assumido este espaço, sendo assim conivente com este modelo contestado por toda a sociedade brasileira.
A resposta do povo tem sido rápida. As diversas ocupações que se espalham pelos prédios públicos do MinC no Brasil mostram que não haverá trégua com aqueles que usurparam a democracia de nossa nação. Pouco a pouco, Temer vai percebendo que seu governo não governará e que a sociedade não permitirá que toda essa mentira siga incólume. Há um grande caldeirão social prestes a explodir e os golpistas mal sabem o que lhes espera.

* Foi Deputada Estadual, está no sexto mandato de Deputada Federal, Secretária de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia de Niterói e Secretária Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. Relatou a Lei Maria da Penha e atualmente lider do PCdoB na câmara dos deputados
 

Última atualização: 23/05/2016 às 21:00:02
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente esta notícia

Nome:
Nome é necessário.
E-mail:
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário:
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.

Comentários

Enviado por Domingos Braga Mota em 11/06/2015 às 19:00:52
Parabéns Victor Hudson pela analise, bem fundamentada na luta de classe. A classe burguesa capitalista do Brasil e aqui no Ceará não poderia ser diferente mantem seus lucros e estaus na exploração. Abraços!
Mostrando registros: de 1 a 1
Total de registros: 1
   contato@sindicamceara.org.br

Atualizado pela Assessoria de Comunicação e Imprensa, jornalista Wanessa Canutto

www.igenio.com.br
BloggerYouTubeInstagramGoogle+FlickrTwitter Facebook